segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

For You


Quem sabe a gente não se encontre naquela cafeteria que costumávamos ir, eu café bem adoçado e você com o mesmo café amargo de sempre. Ou naquela esquina onde nos esbarramos pela primeira vez. Talvez eu passe pelo cais do porto onde demos nossos primeiros beijos só pra relembrar e você resolva ir até lá fazer o mesmo. Em frente à barraca de cachorro quente pode ser um bom lugar... Também pode ser naquela mercearia da esquina da casa da minha avó, onde te obriguei a comprar sua primeira vara de pescar e você adorou o ato que ela lhe trouxe, tranquilizante eu sei, costumava alegar isso pra te convencer não sei se si lembra. Pode acontecer de eu ir passar o verão em Angra naquele hotel luxuoso que você me levava. Posso estar entrando na confeitaria e eis você saindo de lá com um saco lotado daqueles brookies que eu adorava com gotas de chocolate. Ou no cinema, não, não o grande no centro que eu gostava, mas no pequeno mesmo que eu ia pra satisfazer suas vontades, em alguns sábados, quando você resolvia alegar que quanto menor o espaço, menor a distância entre nós. Eu não sei mais quantos acasos imaginar, eu só espero que ele volte a nos juntar como já fez uma vez, eu nunca acreditei em destino e agora aqui estou sentada esperando por ele. Esperando que ele me traga novamente aquela dose necessária de você.

Nenhum comentário:

Seguir por e-mail